Publicado por: adrianemaraujo | 25/05/2012

O plano de redenção restaura a dignidade da mulher

 

Um dia Deus criou o homem, a Sua imagem e semelhança Ele o criou. Após a sua criação, Deus viu que todos os animais que ele havia criado sobre a face da Terra tinha uma companheira e Ele olhou para o homem e viu que não era bom que ele ficasse só e fez para ele uma ajudadora e, assim Deus criou a mulher, Deus criou Eva, o nome que o próprio Adão colocou, pois era carne da carne dele, ossos dos ossos dele.

Após um profundo sono, como uma anestesia, tirando um pedaço da costela de Adão, Deus formou a mulher, nem do pé, nem da cabeça, mas da costela. E os dois viviam em um jardim debaixo da benção de Deus e de uma ordem de se multiplicarem e encherem a Terra. Deus os visitava todos os dias, passeava com eles no jardim, eles eram amigos de Deus.

Porém em um dia, um terrível dia, a serpente se apresentou para Eva, ela era um dos animais mais formosos do jardim, fazendo uma proposta para que Eva comesse do fruto proibido, o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal. Contrariando uma ordem dada por Deus, o Criador, o Pai, o Todo Poderoso. Porém, Eva, seduzida, aceitou a proposta esquecendo-se das promessas feitas por Deus para aqueles que obedeciam e as consequências gravíssimas para aqueles que desobedeciam. Apesar de um Deus tão amoroso, recomendar uma vida de paz, Eva escolheu a independência.

Após comer do fruto, ela o apresenta a seu marido e diz para ele o que tinha feito. Adão, por amar tanto Eva e ver nela a sua alegria de viver, ao invés da presença de Deus, aceita comer do fruto e ter o conhecimento do bem e do mal.

A partir de então, Adão e Eva entram em uma dimensão de pecado e de desobediência e são expulsos do jardim, do paraíso feito por Deus, um lugar onde eles tinham tudo que precisavam e desfrutavam da presença de Deus. Além disso, sofreram as consequências da queda, a mulher foi subjugada ao senhorio do marido e com dores de parto, enquanto o homem foi amaldiçoado a comer daquilo que ele semeasse da terra, com árduo trabalho. O cenário é de sofrimento, dor e de ausência da presença de Deus. Presenciando até o assassinato entre seus próprios filhos e se tornaram inimigos de Deus.

Porém, Deus grandioso como é e maravilhoso como é já tinha um plano, um plano de redenção. Depois de separar um povo, o povo escolhido de Deus, o povo de Israel  guiado debaixo de promessas em ter famílias abençoadas a partir da vida de Abraão, em seguida a libertação pela vida de José e em sequência pela vida de Moisés onde nasce uma aliança entre Deus e Seu povo. Através do sacrifícios de cordeiros que representavam o Cordeiro de Deus que viria para remissão definitiva da humanidade.

O povo nem sempre correspondia aos ensinamentos e as ordenanças de Deus, trazendo para si maldições e peregrinações. Mas a graça de Deus e Suas misericórdias se renovavam a cada manhã para que todo o Seu propósito e Suas promessas se cumprissem.

Até que um dia no meio do povo escolhido de Deus, o povo hebreu, uma adolescente encontrou graça diante de Deus, o nosso Pai, e ela recebe e aceita uma grande missão: gerar o filho do Deus vivo, gerar a salvação do homem e da mulher caídos.

Até então a mulher era vista como aquela que tinha trago a perdição, agora a mulher é o canal para que a salvação entre no mundo, ela vira um instrumento de Deus para que o plano de redenção se cumpra. José, seu noivo na época, aceita o grande chamado de apoiar a adolescente Maria e, assim juntos cumprirem a missão de receber e cuidar como filho, o filho de Deus, a grande salvação do mundo.

E Jesus nasceu, cumpriram-se seus dias de crescimento, Ele encontra João Batista, se batiza e inicia seu ministério, realizando sinais, prodígios e maravilhas cumprindo e confirmando as palavras dos profetas.

Nessa caminhada, Ele fez grandes obras na vida de mulheres, mulheres que criam, que se quebrantavam, que reconheciam que Ele era Deus, se arrependiam de seus pecados e o seguiam com fidelidade.  Seu ministério, muitas vezes, foi sustentado por mulheres, que o amavam, que o serviam, que o seguiam, tanto nos momentos de milagres quanto no momento da caminhada, onde sua maior missão estava sendo cumprida, a caminhada até a crucificação. Nesse momento, alguns homens o traíram, alguns o negaram, mas as mulheres se mantiveram fiéis e em compaixão com sua dor, permaneceram ao seu lado.

Após tudo se cumprir, após a morte de cruz, ao terceiro dia Jesus ressuscitou. Aleluia! Manifestando assim o Seu amor incomparável, Jesus cumpre Sua missão! Pelo Sangue de Jesus homens e mulheres são resgatados do pecado, o alto preço foi pago, para que não haja acusação para aqueles que estão Nele.

Quando as mulheres chegaram ao sepulcro, para realizar os procedimentos de sepultamento da época, elas encontram o túmulo vazio e testificaram que Jesus ressuscitou. E a primeira pessoa para quem Jesus aparece, em um dos momentos mais dramáticos e mais lindos da bíblia, é para uma mulher chamada Maria e ela se lembra da promessa de que Ele ressuscitaria. Depois de ver o seu Senhor humilhado, moído e morto, ela se lembra das promessas e testifica que Ele está vivo e ela começa a glorificar Aquele que ela tinha como Mestre. E ela celebra que está consumada a grande salvação desse mundo.

Jesus lhe dá a missão de anunciar as boas novas. A partir daí os seus discípulos ficaram cientes que a promessa de Deus se cumpriu. Jesus apareceu para os Seus discípulos e, como prometeu, foi assunto aos céus, pois Ele iria preparar nossa morada e precisava ir para que o Consolador pudesse estar conosco todos os dias até a consumação dos séculos. O Consolador é o Seu próprio Espírito, o Espírito do nosso Deus.

A partir daí, a igreja do Senhor Jesus composta por homens e mulheres se dedicaram a cumprir a missão de pregar o Evangelho a toda criatura. Nessa trajetória temos o destaque de várias mulheres, rompendo barreiras da religião, da tradição, diante do resquício da cultura grega a respeito da mulher e da política da época para realizar o chamado de Deus que tanto ardia em seus corações.

Mas Jesus, poderoso e amoroso como é, dignificou a mulher, morreu na cruz e resgatou o seu valor como filha de Deus, como co-herdeira com Cristo, como princesa de um reinado eterno. Passaram-se gerações, milênios e séculos e em todo tempo as mulheres têm sido levantadas de Deus como parte integrante desse grande propósito. E quando Ele voltar nos fará sentar-se à mesa do banquete e seremos servidas como princesas junto ao Rei Eterno, ao Rei da Glória. E viveremos eternamente na presença do grande Eu Sou.

 

Amo vocês profundamente!

 

Anúncios

Responses

  1. Boa noite amada em Cristo
    Muito bom seu comentário ou texto.
    A única discrepância é sobre ser princesa:
    “como princesa de um reinado eterno.”

    Gálatas 3:28 diz que Nele não ha homem nem mulher……e mais:

    …….Vem, mostrar-te-ei a esposa, a mulher do Cordeiro. Apocalipse 21:9

    Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos-lhe glória; porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou. Apocalipse 19:7

    Todos seremos a noiva do Cordeiro,homens e mulheres.Todos os remidos são hoje a igreja.

    Abraço,em Cristo,

    Jorge.

  2. Esse post é focado história das mulheres. Não seremos a Noiva, somos a Noiva, pois somos a Igreja de Cristo. Mesmo sendo Noiva, não deixamos de ser filhas e conseqüentemente princesas.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: