Publicado por: adrianemaraujo | 03/11/2009

Últimos momentos de uma adoradora

Nesses dias recebemos a notícia que uma adoradora, da mesma igreja que eu pertenço, sendo que, de outro bairro no Rio de Janeiro estava muito enferma e estava hospitalizada em estado grave. Essa adoradora faz parte da minha história pois desde que iniciei no ministério de dança (Artes) ela sempre esteve ao meu lado, lembro-me da minha primeira ministração que ela estava ao meu lado, acreditando em mim, ao meu lado me dando tanta força e profetizando na minha vida. Me apelidou carinhosamente como “Profetinha”, e sempre que tínhamos eventos na igreja matriz ela sempre estava a disposição para adorar conosco o Deus Eterno, o nosso Pai e não media esforços para estar conosco. Era uma pessoa simples e descomplicada para o ministério que Deus a confiou. E Deus sempre a usava poderosamente. Uma adoradora genuína cheia do Espírito Santo de Deus. O último evento que tivemos foi no Congresso de Mulheres em Ago/2009, e ela participou conosco com muita excelência e alegria, alías ela era sinônimo de alegria. Dois meses após esse evento ficamos sabendo dessa situação em que nossa amiga se encontrava, nós do ministério, estivemos lá com ela no CTI, mesmo sabendo que ela estava em coma, declaravámos o nosso amor a ela, e davamos força ao seu namorado, pessoa em que vimos a providência de Deus para cuidar dessa vida tão preciosa. Um homem cheio do amor de Deus que renunciou a sua própria vida durante esses dois meses de internação para servi-la. Um homem que cumpriu uma missão que Deus o confiou e cumpriu com excelência. No dia 26/10 (aniversário dela) fomos lá e levamos faixa de Feliz Aniversário e Bolas coloridas para comemorar mais um ano de vida dessa guerreira. Infelizmente ela não pôde comemorar junto com a gente pois ainda estava sedada, mas registramos com fotos esse momento. Cremos em todo tempo, oramos e confiamos a vida dela ao Senhor Jesus. Nesse período vimos familiares que um dia se distanciaram dela, pessoas que já não conviviam mais com ela. Automaticamente, eles começaram a se achegar e reconhecer o quanto ela era importante e vi Deus operando maravilhas no coração dessas pessoas. Ela uma adoradora, santa, irrepreensível, mostrando a diferença daqueles que servem e dos que não servem.  Sua vida íntegra e em Deus sendo refletida nas pessoas (familiares que estavem distantes e amigos). Com um filho de 11 anos, criava sozinha esse filho, com tantas lutas, tendo que trabalhar para sustentá-lo sozinha e tendo que enfrentar as dificuldades desse mundo, pois criar um filho sozinha não é nada fácil. Nesses dias reaparece o pai do menino, comovido com a situação e se aproxima dele, trazendo alegria ao coração dessa criança que mal conhecia o pai. Passavam-se os dias e, oravámos incessantemente e, mais ou menos 10 dias depois da nossa primeira visita (pois só ficamos sabendo da situação dela nesse período), depois de 02 meses de internação; a nossa amiga, guerreira e adoradora veio a falecer. No início foi internada com um pseudo-tumor, com pressão alta e muita dor na cabeça, e o quadro evolui  para pneumonia e septcemia tornando o estado gravíssimo. Teve pequenas melhoras, mas em seguida mais infecções onde a levaram a 3 paradas onde a última a levou a óbito.

Saber essa notícia foi doloroso demais, saber que não veria mais essa linda adoradora fazendo toda a diferença nesse mundo, doía demais. Tive momentos de muita dor na presença de Deus, rasguei meu coração diante Dele, por um momento fiquei inconsolável e incoformada. Fui sincera diante Dele, expondo toda minha dor. E o Senhor falou ao meu coração: ” Filha, seja simples e descomplicada.” Na hora não parei pra analisar direito essas palavras. No momento do sepultamente que foi ontem dia 02/11, senti fortemente a presença do Senhor nos consolando por causa da “perda provisória”, porque Deus respeita esse momento, Ele mais do que ninguém conhece a dor da morte. Mas Ele trazia em todo tempo o consolo da parte do Seu Espírito. Quando eu digo “perda provisória” é porque ela foi para um lugar onde aqueles que estão em Jesus se encontrarão com ela. Seja quando o Senhor nos recolher pra Ele ou quando Ele voltar nas nuvens do céu e nos levar junto Dele.

Depois do sepultamento, quando cheguei em casa, fui ver as fotos da última ministração que realizamos juntas, fiquei pensado: “jamais imaginaríamos que seria a última vez que estaríamos com ela”. Como é necessário nos amamarmos, nos abraçarmos, nos respeitarmos em todas as oportunidades. Como é necessário fazermos a obra do Senhor com tudo que somos e temos. Como é necessário sermos obedientes, e sermos SIMPLES E DESCOMPLICADOS. Era isso que via na minha querida e eterna amiga Mônica. Sei que ela deixou discípulas, sei que ela ensinou muitas coisas, a vida dela era um puro canal de Deus, sei que o filho dela tem muitas lições que ela deixou, sei que ele será um canal de Deus na vida do pai e de seus “novos” familiares. Mas pra mim ela deixou a alegria, o amor, a simplicidade e a forma descomplicada de ser e agir.

Saudades sempre terei, ela além de linda, era um mulherão que tinha presença (rsrs), ela enchia a nossa vida de alegria, tinha um sorrizão gostoso. Sempre fiel. Mas eu tenho a certeza que o maior milagre não é a cura física mas o nome dela está escrito no livro da vida. Pra que ela viva eternamente com Cristo, pois tudo aqui nesse mundo passa muito rápido, nada é para sempre (palavras dela), mas com Cristo nós temos uma vida eterna. Por isso eu sei que a minha amizade com a Mônica é para eternidade. E eu também quero estar pronta como ela estava no dia que o Senhor me chamar.

Esses foram os últimos momentos  de uma adoradora:

Momentos que tive a honra de estar ao lado dela.

“Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor.” Rom. 8:38 e 39.

Amo vocês profundamente!

Anúncios

Responses

  1. Em tudo o que dizes há veracidade, a vida da Mônica foi expressão da glória de Deus. Em muitas ensaios ficavámos desanimas, cansadas por serem frequentes devido o compromisso assumido, de repente chegava a nossa amiga sábado, domingo, independedia o dia e a hora estava ela lá fiel. Nossa era exepmplo pois eu morro pertinho de onde acontecera os ensaios e ela vinha de longe, com alegria e muita disposição nos dispertando a valorizar cada momento único que o Senhor estava nos proporcionando. Como disse a própria Dri quem imaginaria que seria a última vez ministrar…. Aproveite cada oportunidade do Senhor em tua vida pois pode ser a última. Fiquem na paz.

  2. Em tudo o que dizes Dri há veracidade, a vida da Mônica foi expressão da glória de Deus. Em muitas ensaios ficavámos desanimadas, cansadas por serem frequentes devido o compromisso assumido, de repente chegava a nossa amiga Mônica sábado, domingo, independente do dia e da hora estava ela lá fiel. Nossa era exemplo pois eu moro pertinho de onde acontecera os ensaios e ela vinha de longe, com alegria e muita disposição nos dispertando a valorizar cada momento único que o Senhor estava nos proporcionando. Como disse a própria Dri quem imaginaria que seria a última vez ministrar ao lado dela…. Aproveite cada oportunidade do Senhor em tua vida pois pode ser a última. Fiquem na paz.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: